Artigos

DEFICIÊNCIA DE VITAMINA D?

vitamina-D-sintomas-de-deficiencia

10 sintomas de deficiência de vitamina D que você precisa reconhecer

 

Durante anos, os médicos acreditavam que a única utilidade da vitamina D seria para a manutenção de dentes e ossos saudáveis.

Recentes avanços na ciência têm colocado a vitamina D em evidência ao revelar seu multifacetado papel para o bom funcionamento do corpo humano e sua capacidade de reduzir riscos de doenças como o câncer, doença vascular e inflamação crônica. Mas ainda poucos sabem da sua importância.

Atualmente o que se constata é que, indiferente do grupo etário, é muito comum a deficiência (<20ng/mL) de vitamina D.

Inúmeros fatores contribuem para a deficiência de vitamina D na população mundial, destacando-se o estilo de vida atual de trabalhar em ambientes fechados, além da crescente preocupação em evitar a exposição solar.

Muitos acreditam que manter hábitos alimentares saudáveis seja o suficiente, mas poucos alimentos contém níveis significativos de vitamina D.

De acordo com o Dr. Heike A. Bischoff-Ferrari, para obtermos níveis adequados de vitamina D somente pela dieta, seria necessário o consumo de 2 porções de peixes gordos como o salmão e a cavala, todos os dias.

Para saber se você está com deficiência de vitamina D, é necessário um exame de sangue, mas alguns sintomas e doenças indicam o déficit da vitamina.

1. Gripe – em um estudo publicado no Jornal de Cambridge, descobriu-se que a deficiência de vitamina D predispõe as crianças a doenças respiratórias. Um estudo de intervenção realizado mostrou que vitamina D reduz a incidência de infecções respiratórias em crianças.

2. Fraqueza muscular – de acordo com Michael F. Holick, um especialista em vitamina D, a fraqueza muscular geralmente é causada por deficiência de vitamina D porque para os músculos esqueléticos funcionarem adequadamente, seus receptores de vitamina D devem ser suportados  pela vitamina D.

3. Psoríase – em um estudo publicado pelo UK PubMed central, descobriu-se que os análogos sintéticos de vitamina D são úteis no tratamento da psoríase.

4. Doença renal crônica – de acordo com Holick, pacientes com doenças renais crônica avançadas (especialmente aqueles que requerem diálise) são incapazes de produzir a forma ativa da vitamina D. Esses indivíduos precisam tomar 1,25-dihidroxivitamina D3 ou um dos seus análogos para apoiar o metabolismo do cálcio, diminuir os riscos de doenças ósseas ou renais e regular os níveis de paratormônio.

5. Diabetes – um estudo realizado na Finlândia foi destaque no Lancet.com em que 10.366 crianças receberam 2.000 unidades internacionais (UI)/dia de vitamina D3 por dia durante o primeiro ano de vida. As crianças foram monitoradas por 31 anos e em todos eles, o risco de diabetes do tipo 1 foi reduzido em 80%.

6. Asma – vitamina D pode reduzir a gravidade dos ataques de asma. Pesquisas realizadas no Japão revelaram que os ataques de asma em crianças em idade escolar foram significativamente reduzidos naqueles indivíduos que tomaram suplemento diário de vitamina D de 1.200 UI por dia.

7. Doença periodontal – aqueles que sofrem desta doença crônica da gengiva que provoca inchaço e sangramento devem considerar aumentar seus níveis de vitamina D para a produção de defensinas e catelicidinas, compostos que contêm propriedades antimicrobiais e diminuem o número de bactérias na boca.

8. Doenças cardiovasculares – insuficiência cardíaca congestiva está associada com deficiência de vitamina D. Pesquisa realizada na Universidade de Harvard entre enfermeiros encontrou que mulheres com níveis baixos de vitamina D (17 ng/m [42 nmol/L]) tiveram um aumento de 67% no risco de desenvolverem hipertensão.

9. Esquizofrenia e depressão – estas doenças têm sido associadas a deficiência de vitamina D. Em um estudo, descobriu-se que manter suficiente vitamina D entre mulheres grávidas e durante a infância era necessária para satisfazer o receptor de vitamina D em todo o cérebro para o  seu desenvolvimento e manutenção da função mental na vida adulta.

10. Câncer – pesquisadores da Georgetown University Medical Center , em Washington DC descobriram uma ligação entre a ingestão elevada de vitamina D e risco reduzido de câncer de mama. Esses resultados, apresentados na Associação americana para pesquisa do câncer, revelaram que o aumento de doses de vitamina do sol estava associado a uma redução de 75 por cento do surgimento geral de câncer e 50 por cento de total de câncer em casos de tumores entre aqueles que já possuíram a doença. Interessante foi a capacidade da suplementação de vitamina a ajudar a controlar o desenvolvimento e crescimento do câncer de mama, especialmente o câncer estrogênio-sensível.

Doenças e condições causadas pela deficiência de vitamina D

1. A osteoporose é geralmente causada pela falta de vitamina D que provoca deficiência na absorção de cálcio.

2. A deficiência de vitamina D na infância causa o raquitismo, falta de calcificação dos ossos.

3. A deficiência de vitamina D pode agravar o diabetes tipo 2 e prejudicar a produção de insulina pelo pâncreas.

4. Bebês que recebem suplementação de vitamina D (2.000 unidades por dia) tiveram um risco 80% menor de desenvolver diabetes tipo 1 durante os próximos vinte anos.

5. A obesidade prejudica a utilização da vitamina D no organismo e obesos precisam de duas vezes mais vitamina D.

6. A depressão, a esquizofrenia e os cânceres de próstata, de mama ovário e de cólon são frequentes em pessoas com deficiência de vitamina D. Portanto, níveis normais de vitamina D previnem estas doenças.

7. O risco de desenvolver doenças graves como diabetes e câncer é reduzido de 50% a 80% através da exposição simples, à luz solar natural 2 a 3 vezes por semana.

8. A depressão sazonal de inverno, muito comum nos países de clima temperado, é causada por um desequilíbrio da melatonina, devido à menor exposição ao sol.

9. A vitamina D é utilizada no tratamento da psoríase, doença inflamatória crônica da pele.

10. Deficiência crônica de vitamina D é muitas vezes diagnosticada erradamente como fibromialgia, porque seus sintomas são muito semelhantes: fraqueza muscular e dores.

O QUE VOCÊ PODE FAZER

A exposição sensata à luz solar natural é a estratégia mais simples, mais fácil e ainda uma das mais importantes para melhorar a saúde.

A deficiência de vitamina D tem sido associada com o aumento do risco de cânceres fatais, doenças cardiovasculares e tem sido implicada na etiologia das doenças autoimunes, tais como a esclerose múltipla, artrite reumatoide, doença de Crohn, diabetes mellitus tipo 1, entre outras.

Embora a exposição excessiva crônica ao sol aumente o risco de câncer de pele não melanoma, evitar qualquer exposição direta do sol aumenta o risco de deficiência de vitamina D, que pode ter consequências graves.

 

Todas as informações disponibilizadas estão aqui em caráter de informação e não de prescrição.
Consulte sempre seu médico ou especialista.

 

 

Fontes: Natural News, vitaminadbrasil.org, The Healing Power of Sunlight & Vitamin D – Dr. Michael Holick; vitamina D